domingo, 24 de junho de 2018

Cabaré de Bandidos!


Ora, se o Brasil, ex campeão mundial de futebol, hoje, um Cabaré de Bandidos, perdeu de seta a um para os alemães, dentro de casa, por que o Panamá não pode perder de seis a um para os ingleses, fora de casa? Quando esse timezinho do Brasil pegar um time que saiba jogar, nós, que só sabemos clamar por justiça, vamos ver o que é bom pra tosse. Tamos lascados... pra não dizer coisa pior... Eta Brazilzão, mais amarelo que verde...  
Coronel Maciel.

quinta-feira, 21 de junho de 2018

Pecar é não pecar!


De que me adianta ficar dizendo que o STF é um antro de comunistas (quase todos; quase todos...) corruptamente pagos para defender Lula e seus asseclas; ou ficar dizendo que esses jogadores de futebol estão pouco “se lixando”  para ganhar ou perder, mesmo sabendo que  perder pênaltis é pior que pousar sem trem;  ou ficar dizendo que Jesus Cristo não é filho de Deus coisa nenhuma, mas sim um homem igualzinho a todos nós, porém muito mais inteligente; porém muito mais  incompreendido; que foi crucificado; que foi  morto e sepultado; que depois não subiu aos céus, mas sim  virou pó, como todos nós vamos virar; e que foi mais romântico que todos os homens do mundo reunidos quando disse: “atire a primeira pedra” na hoje Santa Madalena, divina pecadora! Jesus sabia, tão bem e tão divinamente, que “pecar é não pecar”...
Coronel Maciel.

terça-feira, 19 de junho de 2018

A Lua Nasce.


A Lua nasce lá em “Ponta Negra”.
Ouvi dizer que aquela bomba que quase riscou do mapa “Hiroxima”, meu amor, hoje serve de “espoleta” para a Bomba de Hidrogênio, e que esta seria capaz, reunidas, de riscar o mundo do mapa. -- Égua, como dizem os paraenses!  Não sei, e quem sou eu para me meter a falar de coisas que somente “linguarudos”, como o Einstein, são capazes. Mas o que eu queria mesmo dizer, em tão poucas e analfabetas palavras, aos meus amados ouvintes, é que o homem é capaz de partir, quebrar, fundir, ou seja lá o que for, um átomo de Hidrogênio, o mais simples dos mortais átomos do mundo; mas esse mesmo homem; e nem todos os Einstein do mundo reunidos seriam capazes de fazer um átomo de hidrogênio; nunca; jamais; nem daqui a muitos milhões de anos! Outra coisa: nunca também jamais o homem, formiguinhas jogando “peladas” e vagando sem rumo neste zero pequenino, será capaz de descobrir, com todas suas “filosofias” reunidas, como tudo isso aconteceu; muitos acreditam que tudo foi feito em sete dias, por um ser superior chamado “Deus”, um ente “criado” pela fértil imaginação dos homens, feito sob medida para iludir nossa triste realidade. Não sei. Só sei que é extrema “burrice” querer saber como tudo isso começou, nem como tudo isso vai acabar; e nem todos os versos e poesias do mundo reunidos é mais lindo, mais belo, mais emocionante, que um “Pôr-do-sol”, ou o “Nascer da Lua”, toda molhadinha e bela e sensual e linda e solitária, surgindo das profundezas dos verdes mares de “Ponta Negra”, quem sabe a mais linda praia do mundo, só perdendo,  e agora  puxo a brasa pra minha sardinha, para “Salinas”, lá no meu Estadão do Pará!
Coronel Maciel.

segunda-feira, 18 de junho de 2018

"Duzentos" milhões...


“Duzentos” milhões em ação!
Coitadinhos de “nóis”, de nóis, não, dos milhões e milhões de outros brasileirinhos e brasileirinhas vidrados em futebol (eu mesmo prefiro uma boa pelada de praia; muito mais emocionante), sempre na espera de dias melhores, cada vez “mais piores”.  Mas não só os brasileirinhos, é o mundo inteiro vidrado, exceto algumas tribos de índios da Amazônia, e de outras espalhados pelos cantos escuros do mundo, mundo que continua girando, girando sem parar, transportando bilhões de imbecis que continuam acreditando em disco-voadores e em outras vidas após a morte; eu mesmo, não, apesar de ser muito mais imbecil, pois sou apenas como o grande César, hoje morto e em pó tornado, que a fenda pode vedar ao vento irado, e, muro, nos protege contra o vento, como diria aquele velho bardo inglês.
Coronel Maciel.

domingo, 17 de junho de 2018

Quincas Berro D'Água,


Cada qual cuide do seu enterro; impossível não há, dizia um dos personagens do grande “comunista” Jorge Amado, membro da nossa ABL, um dos meus escritores favoritos. Jorge Amado não era um “comunista” sanguinário, como Fidel Castro, e seus amantes espirituais que hoje infernizam a vida de todos nós, pálidos brasileirinhos. Eu, parafraseando o grande Baiano, diria que cada um viva e morra como quiser, mas sem nunca prejudicar, nem atrapalhar a vida de ninguém.  Eu já gostei muito de futebol, mas isso nos tempos do MédicI, grande general de 64, que era aplaudido de pé, num Maracanã lotado, apesar dos seus inimigos, de ontem e de hoje, dizerem que ele era odiado pelos brasileiros. Hoje eu não gosto de futebol; nem eu nem os “americanos”, os donos da maior e mais poderosa “Força Aérea” do mundo, que preferem, como eu, o seu basquete profissional, um esporte muito mais emocionante; um jogo quando tem uma média de 100 pontos, enquanto que o futebol costuma terminar num triste zero a zero. Sempre achei que o que atrapalha e atrasa o futebol é o tal “impedimento”; não digo o time inteiro ficar na “banheira”; mas pelo menos um atacante poderia e “deveria ficar” aumentando assim, e muito, a esperança de “golos”, como dizem os portugueses.  
Coronel Maciel.

quinta-feira, 14 de junho de 2018

Em busca da Virgindade Perdida.


Não suje seu BLOG com tantos palavrões, alguém me diz --- Ora, ora, ora, “porra”! – Nada melhor que um bem-aventurado palavrão para baixar minha pressão, e para retratar esse Brasil ligadíssimo na Copa do Mundo!  Em poucas palavras, uma, duas, três, digo tudo o que precisa ser dito! -- Raivas, prazeres, gozos, medo, tudo! Muita gente boa; expoentes da Academia Brasileira de Letras, Papas, famosos Cardeais, respeitáveis Madres Superioras, meninas de colégios de freiras, todos na hora da raiva, do gozo, soltam suas   línguas.  Na primeira vez que fui me confessar, isto naqueles tempos em que eu ainda acreditava em muitas “coisas” -- coisinhas à toa, na minha pecadora opinião, fiz um “rol” dos meus pecados, tanto os veniais, como os “mortais”, todos eles, para sussurrar nos ouvidos do padre. -- Todos, coronel? -- Nem todos, nem todos. Não teria nunca coragem de dizer que eu já estava cheio das impurezas daqueles “prazeres solitários”, vulgarmente conhecidos como “punheta”. Terminada a penitência – já nem lembro mais quantas Ave-Marias, quantos “creio em Deus padre todo poderoso”, fui obrigado a rezar, para que meus pecados fossem perdoados, e sem saber se era mesmo o padre, ou o meu arrependimento que me salvaria do ”fogo eterno”, voltei pra casa um tanto quanto muito apavorado, pois o padre me dizia que se peca até por pensamentos: -- Égua! -- como dizem os paraenses. Minha “primeiríssima comunhão”, aconteceu só no dia seguinte; vestido todo de branco e com vela acesa na mão; um anjo! -- Até lá, até chegar a hora da hóstia consagrada, nada de pecar; nem pensar! Mas como evitar tantos “bons pensamentos” que naqueles bons tempos já perseguiam minha santa inocência?  Chegando em casa, fui logo me deitar. Nada de ir empinar papagaio na rua, lugar onde se aprende os maiores palavrões e as grandes sacanagens do mundo! Nós dormíamos em gostosas redes em minha casa, lá em Belém, cidade “sexual”, pois de clima “quente e úmido”. Fui me deitar cheio de pudores, com medo até de sonhar! Sonhar com tantas “imundícies”, como me dizia o padre.  Eu era uma criança, “confesso” aos meus amados ouvintes, mas uma criança vilmente perseguida pelos mais diabólicos pecados.  Perdi minha “inocência” por causa da Marta Rocha, baiana com gostosas duas polegadas a mais, sensual e provocativa, num malcomportado maiô, posando nas capas das revistas da época. Quanta diferença dos nossos dias de hoje.
Coronel Maciel.

terça-feira, 12 de junho de 2018

O Papa, o Trump, e o Kim


O Papa, o Trump, e o Kim.
Muito mais importante que essa fajuta Copa do Mundo, foi o encontro do Trump, o inverso do Obama, até no colorido, com o gordo e risonho King Jung-un.  Leio nos jornais que o Papa Chico abençoou e mandou um terço, um rosário de contas, para o Lula rezar na prisão. Essa “ex” Santa Igreja Católica Apostólica Romana continua a mesma pecadora de sempre; em “64”, “locupletou-se” com Jimmy Carter, “Democrata” americano; com as nossas saltitantes e embriagadas esquerdas, e outros bichos e bichas por aí, e derrubaram os “Generais”, transformando o Brasil nessa verdadeira esculhambação; nesta verdadeira zona do mais alto meretrício, “problema” que esses mesmos comunistas que nos derrubaram criaram, e agora  tentam resolver, com a criação da mais nova sigla populista: SUSP. 
Coronel Maciel.