terça-feira, 23 de janeiro de 2018

O mundo é dos "vivos".

O mundo é dos “vivos”.
Na mesma hora do acidente com Ministro Teori Zavascki, nós, isto é, os pilotos mais antigos; os mais “espertos”; ou os mais experientes, como queiram, já sabíamos que foi coisa da “bruxa”, conhecida também como “Desorientadora Espacial”. Pilotos sortudos, como nós, que fizemos as maiores “leãozadas” do mundo, mas continuamos “vivos”, sabem como ela é; mas, por “razões que a própria razão desconhece”, nunca nos deixamos enganar. Em caso de dúvida, arremeta! Se resolver “não arremeter”, mantenha o “sangue frio”; faça as “leãozadas” que quiser, mas não “trema”; se tremer, vai morrer! Foi o que sempre fiz, e, graças aos meus santos e anjos “copilotos”, sempre me dei bem.
Mudando de pau, pra cacete: Lula está cada dia mais feliz; cada dia mais endeusado; cada dia mais “Jesus Cristo”. Sem gastar nem um tostão, está cada dia mais próximo da presidência. Em “Davos”, Temer foi ver como os homens mais ricos do mundo fazem para ficar cada vez mais ricos, trepando no lombo dos cada vez “mais pobres”. O mundo é, e sempre foi dos vivos, “dos mais sortudos”, como eu...
Coronel Maciel.


domingo, 21 de janeiro de 2018

Donald Trump.

Não entendo o Donald Trump; bilionário; um dos caras mais ricos do mundo, largou tudo; largou todos os prazeres que a riqueza pode oferecer, para se tornar Presidente, ou melhor, para ver se conseguia salvar o pouco que restou dos oito anos de desgoverno do “negão enganador”. Hoje está aí, na maior merda do mundo, nas mãos dos “Democratas”, ou melhor, nas mãos do Partido mais antidemocrático do mundo; o Partido que não sabe perder eleições. Donald Trump devia, na minha rasteira opinião, largar tudo nas mãos dos seus “algozes”, dizendo: vocês que criaram esse “Rosemary’s Baby”, agora se virem para criar, que eu vou me embora gozar a vida, o mundo, e tudo o que os meus “dólares” podem oferecer, aguardando pelo “impeachment”, ou outra merda qualquer. Devia fazer como nós fizemos: “Fudido, fudido e meio”, e, recolhidos aos nossos velhos tanques, navios e aviões, ficamos de longe, numa boa, vendo o circo pegar fogo, dizendo: -- Não era essa a democracia que vocês queriam, seus grandes e mal-agradecidos babacas!

Coronel Maciel.

sábado, 20 de janeiro de 2018

Brigitte Bardot.

Adão, “o tarado”, naquela velha base que diz: “assediou, tem que transar”, pois, se não transar, vem outro, come, e ainda por cima a “Eva”, com raiva, diz que foi comida pelo infeliz (ou babaca?)  que não comeu e ainda por cima vai acabar criando um filho que não é seu. Hoje está muito mais difícil de isto acontecer, por causa do tal exame de DNA. Tem muita mãe por aí entregando filhas, às vezes meninas até de menor, porém muito, muito bem “escoladas”, nas mãos de homens ricos, muitas vezes “velhos gagás”, que caem na “armadilha” e são depois devidamente “chantageados”. Muitas mulheres se tornaram ricas, famosas, usando homens como “degraus” para subir na vida. Isto vem acontecendo desde que o mundo é mundo. Mas hoje principalmente nos “Estados Desunidos”, onde homens poderosíssimos estão sendo ameaçados de “Cadeira Elétrica”, acusados de “assaltantes sexuais”, “tarados”, e outros “bichos”, por esse tipo de mulheres. Muitos dos nossos pilotos “novinhos” nunca ouviram falar na Brigitte Bardot. Brigite, hoje bem mais “antiga”, mas que ainda guarda aquela beleza que era o sonho dos pilotos de antigamente. Linda, maravilhosa, desejadíssima, mesmo sem mostrar quase nada de tudo de belo que uma mulher tem, como fazem as meninas de hoje, que vivem por aí mostrando “tudo”! Nada contra! Muito pelo contrário. Mas, se faço esse arrodeio todo, é para dar meus parabéns à dona Brigitte, maravilhosamente linda, me olhando lá de Paris, porque foi uma das únicas mulheres do mundo que tiveram a coragem de dizer que a maior parte das queixas de assédio sexual por parte de “certas” atrizes, -- eram queixas "hipócritas, ridículas e sem sentido"; e que "há muitas atrizes dando em cima de produtores, só pra conseguir um papel"...

Coronel Maciel.

O poderoso mundo das esquerdas.

O poderoso mundo das esquerdas.
Criei um Blog para poder dizer tudo o que eu quero, tudo o que eu gosto de dizer e fazer; para dizer todo o amor que tenho pela carreira que escolhi; que escolhi, desde quando menino ainda; menino travesso; menino empinando “papagaios”, jogando “peteca”, pegando “pião na unha”, jogando peladas no meio da rua, com bolas de meias roubadas das minhas irmãs, e sempre sonhando em ser “piloto de avião”. E principalmente sem medo de ser feliz! “Meus inimigos”, petistas, comunistas, esquerdistas e assemelhados – começaram logo a “esculhambar” com o meu incipiente BLOG. Tanto a mim, como também aos meus primeiros “seguidores”.  As ofensas eram tantas, que achei melhor evitar “seguidores”, para não ficarem expostos a tantas e maliciosas ofensas. As ofensas a mim dirigidas, eu dizia, brincando e para mim mesmo: -- Falem mal, mas falem de mim!  Hoje são mais de 1240 os artigos publicados; quase um por dia! Ao aproximar-se o “Dia D” do Lula -- para quem e para início de conversa sou obrigado a “tirar o meu bibico”; tirar o meu chapéu para uma pessoa que, usando de um poderoso carisma; um impressionante magnetismo pessoal; um analfabeto; um retirante das secas nordestinas, chegou a presidência dessa nossa tão ingênua, tão infantil, e tão analfabeta república. Tenho a mais absoluta certeza que as maiores “autoridades” desse nosso “zero pequenino”, como costumava dizer aquele velho bardo inglês, o nosso popular “Shakespeare”; grandes “autoridades” tais como como o Papa Francisco, e o “negão” Barack Hussein Obama, entre tantos e muitos outros, estarão torcendo pelo Lula, no seu próximo dia 24. Na minha mais que rasteira, risonha e modesta opinião, o Barack Hussein Obama é o Lula dos americanos; mas um “Lula” muito mais sofisticado; um “Lula” que frequentou as melhores universidades do mundo; que convive com Príncipes, Reis e Rainhas, eteceteras e coisa e tal. O “Lula da Silva” jamais faria sucesso no “States”. O “Barack Hussein Obama” é sucesso no mundo inteiro; no poderoso mundo das esquerdas!
Coronel Maciel.



sexta-feira, 19 de janeiro de 2018

Breve análise da corrupção no Brasil.

Breve análise da corrupção no Brasil. “Passagem baixa”.
A corrupção, estou me referindo ao Brasil, começou com “Cabral” (não sei se o Cabral de hoje, o “Sérgio”, governador, é parente do “Pedro”, o descobridor), aumentando na época da “Colonização”, quando os portugueses quase transformam a nossa tão querida  Minas Gerais num grande buraco, tanto foram os minerais preciosos transferidos rumo à Portugal, vítimas da corrupção; foi aumentando, aumentando,  até que, durante a chamada “Ditadura”,  decresceu bastante, quase sumindo, bastando lembrar caso do “Aero Willys” que o irmão do Castelo Branco recebeu de presente, e por isso foi imediatamente destituído do cargo e quase preso;  bem  como quando o Figueiredo mandou o Havelange enfiar no rabo a proposta do Brasil sediar “Copa do Mundo”; e aumentou de forma assustadora, “exponencial”, após a famigerada “redemocratização”, até chegar aos dias de hoje, quando se alastrou de forma pior que a “Febre Amarela”. E como não há vacina contra “corrupção”, nem meia nem inteira, não sei como, nem quando ela vai acabar; ou mesmo se pode acabar.  Dizem que só com o advento de outro “Castelo Branco”, baixando no corpo do Bolsonaro.

Coronel Maciel.

quinta-feira, 18 de janeiro de 2018

Velhas Árvores.

Velhas Árvores.
Quando eu vejo o Papa Francisco, rodeado de chilenos; de índios chilenos; não sei se também de militares chilenos da época do Pinochet, todos rezando e acreditando em tudo o que o Francisco diz: em outras vidas eternas nos céus, eu fico por aqui assim pensando: e se ele estivesse passeando aqui no Brasil, será que estaria naquela foto, ao lado da Lula, fazendo parte daquela turba de intelectuais e artistas? Será, meu Deus, que eu seja o “único certo” ao não acreditar em nada do que me dizem? Que eu seja igual à Cecília Meireles quando me diz, baixinho, que um dia estarei mudo, “mais nada”? Não é possível que tudo termine em nada! Eu só queria que alguma amiga ou amigo meu, nem que fosse o meu maior inimigo, jogasse um chupado caroço de manga, caído daquelas frondosas mangueiras lá do meu Belém do Pará, bem em cima da minha sepultura, e assim eu pudesse viver uma nova vida, agora uma frondosa mangueira, quando então o homem, o inseto, a fera, à minha sombra viessem se abrigar, livres de fome e de fadigas, e em meus braços viessem se aninhar as cantigas e os amores das aves tagarelas, como nos versos do Olavo Bilac...

Coronel Maciel.

quarta-feira, 17 de janeiro de 2018

Baile dos Artistas!

Nossa, como o Brasil está cheio de “artistas”. É artista por todo lado! E “todos” ligadíssimos às esquerdas malditas; e “todos” mamando na Lei Rouanet; e todos torcendo pelo Lula da Silva, o rei dos ladrões e do “pulo do gato”, o rato-guabiru que até hoje ninguém conseguiu botar lá na Papuda, e do jeito que as coisas vão, ninguém vai conseguir. Não sei o que vai acontecer com ele, no próximo dia 24. Mas vamos supunhetar que ele não possa mais concorrer com o Bolsonaro. Quem, para o seu lugar? Se a minha “sagacidade” política não me engana, será a Dilma Rousseff. Mas, tomara; tomara, e peço, e rogo ao meu bom Deus e todo poderoso para que ele não vá querer fazer com a dona Dilma, o mesmo que ele queria fazer com a “Mariazinha do Rosário”, a meu ver uma mulher “incomível”...  

Coronel Maciel.