sábado, 14 de janeiro de 2017

Últimos suspiros do Mouro na 'Casa Branca"!



Com seu “QI Labial” muito acima do normal, o “Negão” Barack Hussein Obama chegou à “Casa Branca”. Mas, antes de cair fora, prepara o terreno para a “Negona” Michele e suas encantadoras “Neguinhas” possam algum dia também lá chegar, ou, quando menos, no “Capitólio”, o Congresso Americano. Última semana na Presidência, Obama dá seus últimos suspiros demagógicos.
Aqui no Brasil, terra cobiçada pelas “FARC”, expulsos da Colômbia, os “Generais” aguardam, com ansiedade, que Donald Trump assuma o poder e dê “Luz Verde” para a “Solução Final” na tentativa de salvar o pouco que resta do Brasil, transformado, depois de mais de vinte anos de governos corrupto-comunistas, num lamaçal onde porcos se alimentam do leite e do queijo dos nossos filhos. Seria muito bom que, antes que isto muito infelizmente aconteça; seria ótimo que antes que cabeças “comecem a rolar” nesse grande presídio que hoje virou o Brasil; seria bom que esses bandidos que se apossaram dos nossos corpos e ainda querem se apossar das nossas almas, peçam asilo político em Cuba, ou em outros países afins, até mesmo na França, na companhia do Chico Buarque de “Paris”.
Já na “reta final”, não sei se ainda vou ter tempo para ver o Brasil voltar a ser aquele Brasil da época da “Ditadura”, quando éramos felizes e não sabíamos. Não sei. Só sei que com toda certeza; se nada de nada for feito; os nossos filhos e netos, os nossos mais  incorruptíveis e inexoráveis julgadores,  irão dizer, com todas as pedras nas mãos:--Que merda de país é esse que vocês nos deixaram?!... 
Coronel Maciel.

quinta-feira, 12 de janeiro de 2017

Amigo é pra essas coisas!



Comentarista do meu BLOG “Velha-Águia” – “Sente saudades dos meus artigos nos jornais de Natal”. Não sei por que, ou melhor, sei o porquê:-- Liberdade de imprensa; compromissos com a “verdade” são sonhos, são quimeras, são perdidas ilusões, no Brasil e no “exterior”. Tanto faz em regimes “abertos, ou fechados”. Onde há ou não há democracia. Aliás, esse termo “democracia” ainda precisa ser muito bem definido. Assim como, jornalista, jornaleiro e donos de jornais, que muitos consideram como “sinônimos”.  Não se pode quebrar infinitos interesses que cada jornal defende; sejam eles econômicos, religiosos, morais, puritanos, esportivos, artísticos; de aviação; e por aí vai.
Razão pela qual resolvi criar um BLOG, hoje com mais de mil e não sei quantos artigos publicados. A maioria publicados também aqui no FACE. Muitos até me pedem para públicos em livro. Ora, são tantos, são centenas os livros publicados diariamente por aí, que acho melhor ficar na “saudade”.
No BlOG somos o dono, somos o imperador de nós mesmos! “O Rei da Cocada Preta”! Não sei se ainda posso “ser preso”, como aconteceu certa vez, quando o Sarney mandou me prender por quinze dias, e dias “sem fazer serviço”, por causa de umas verdades que eu lhe contei, publicadas na primeira página de grande jornal.  Cortou minha carreira; ou melhor: eu mesmo cortei minha carreira, pois sabia do risco que estava correndo, quando cometi o “crime”.
Mas, mesmo assim, no BLOG ou no FACE, corremos certos riscos; não o de ser presos, incomunicáveis, fazendo ou não fazendo serviço – mas risco de perder amigos, pois apesar de saber que não é a verdade que dói, mas a maneira de dizê-la, muitas vezes perco a cabeça e a paciência.
Famoso jornalista, comunista “Jurássico”, de um jornal também Jurássico, há pouco me pediu “pelo amor de Deus” para cortá-lo da minha lista:--Não me comprometa! ele me pediu.  Perdi o “amigo” ... 
Coronel Maciel.
  

quarta-feira, 11 de janeiro de 2017

Lágrimas Negras!



 Lágrimas Negras!
Sei que vou irritar muitos brasileirinhos e brasileirinhas, amantes espirituais do Barack “Hussein” Obama, que agora também choram as mesmas lágrimas, as mesmas “lágrimas de crocodilo”, derramadas pelo “Negão Enganador”, no seu discurso de despedida, tão cheio de “apelo aos sentimentos”. Barack Obama deixa os Estados Unidos na mais completa “Desunião”; na mais nova e perigosa “Guerra da Secessão”. Coitado do “Donald Trump”, transformado pela Imprensa Americana; pelos “Democratas” americanos; pelos “Artistas de Hollywood” e tantos outros organismos de esquerda espalhados pelo mundo, no mais perigoso dos tarados americanos! Tanto melhor para os Russos; tanto melhor para os Chineses, tanto melhor para os eternos Ditadores Cubanos, ao verem os Estados Unidos se estraçalhando na mais perigosa das guerras:-- A luta fratricida!
No Brasil a situação piora “satisfatoriamente”. E não duvido nada que, à semelhança dos criminosos, aqueles mais “bonzinhos”, que estão indo gozar suas penas em casa, que também decretem férias geral para os militares, do Soldado ao General, e transformem os quartéis em “Cadeias de Segurança Máxima”. 
Coronel Maciel.


domingo, 8 de janeiro de 2017

Conversando com estrelas!



                             Voando e conversando com estrelas.
(Há muito de arte e e poesia na vida dos pilotos.)
Ontem, naqueles velhos tempos da aviação romântica; ontem, naqueles tempos “idos e vividos”, os pilotos pilotavam seus aviões! Hoje, eles mais monitoram computadores, e “menos” pilotam seus aviões.  Antigamente havia de tudo nos aviões: -- piloto, copiloto, mecânico, radiotelegrafista, navegador, artilheiro de cauda, de nariz, operador de radar, bombardeador; às vezes até capelão! Era tanta gente a bordo dos B-17, dos B-26, dos B-25; eram tantos “B’s”! O B-29, por exemplo, o famoso “Enola Gay” do Coronel Paul Tibbets, aquele lançou a Bomba Atômica sobre Hiroxima. Hoje, não; hoje um único piloto pode fazer tudo e tudo por “economia”.  Há de chegar o dia quando fará também o papel de comissário de bordo, com o avião nas mãos do “Piloto Automático”. O GPS, o Transponder, o ILS; as bombas e os mísseis guiados a “laser”, e tantos outros equipamentos, ajudam muito.  Os rádios hoje falam com o mundo inteiro. Quanta diferença daqueles tempos do “dididadá” dos sinais telegráficos.
Quando Tenente “Pica Fumo”, eu passava horas, dias, meses, anos dando instrução de voo no Estágio Avançado para os Cadetes do último ano, na Academia da Força Aérea, em Pirassununga. Eram quatro, às vezes cinco duplos por dia: Partida do motor, rolagem, decolagem; subida, manobras, acrobacias; voo de grupo, voo no dorso, mais acrobacias; descida para o pouso, “pilofe”, sem nunca esquecer de baixar o trem de pouso; pousar sem trem é o mesmo que perder pênalti!  Ensinávamos e aprendíamos tudo ao mesmo tempo. Aprende-se muito ensinando os outros a voar. Há de se estar sempre atento; de “olho vivo no inimigo”; o primeiro descuido pode ser o fatal.
E aquele tenente novinho que voasse mais recebia como prêmio pegar o “seu T-6”, e ir passar o fim de semana na sua cidade preferida. Como a “minha novinha” morava em Natal, era para lá que “aproava”, vez em quando, o “meu avião”.  A viagem era longa e cansativa; “noturnão”, sozinho no meu vagaroso T-6, que não puxava mais do que 140 milhas, mais ou menos 240 km. Para matar o sono, pernoitava alguns “minutos” em Ilhéus. E decolava bem cedo para almoçar uma gostosa carne de sol em Natal.
Hoje estou aqui a lhes contar essas amenidades; essas recordações sempre ligadas aos ares azuis dos céus do meu Brasil. Ora voando a favor, ora contra os ventos; ora olhando a lua, o olho frio dos céus; ora “namorando” as Plêiades, as sete irmãs da constelação “Touro”. Aldebarã, Belatrix; as Três Marias, no cinturão do Orion. Sirius, Canopus.  Mas como tudo aquilo me embriagava com sua beleza. Por alguns momentos esquecia-me de mim mesmo; esquecia até da minha própria vida; sentia-me livre e como que dissolvido no vento e nas frias águas das chuvas. Quantas vezes eu colocava a mão para fora da cabine, e os pingos mais pareciam alfinetadas. Recolhia um pouco daquelas águas geladas e passava no rosto, para espantar o sono. Sentia-me livre e além, muito além dos temores pequeninos e das mesquinhas ambições humanas. O “piloto automático” era as minhas mãos já cansadas, mas segurando firme o “manche” do meu sempre fiel amigo, o meu saudoso “NA T-6”...
Coronel Maciel.

sábado, 7 de janeiro de 2017

Por una cabeza!



“Por una cabeza”. Gardel!
Eu tenho pena, muita pena mesmo daquelas mães que agora choram por seus filhos queridos que foram e estão “perdendo a cabeça” nas prisões do meu norte tão querido e hoje tão ameaçado pelos guerrilheiros das “FARC”; assim como daquelas mães cujos “filhos” foram decapitados durante a “Revolução Francesa”. Mas tenho muito mais pena daquelas mães que tiveram e estão tendo suas criancinhas, estupradas pelos hoje assassinados. Ora, coronel, o “Estado” tem obrigação de zelar pela cabeça dos seus presidiários! E, em assim sendo, o Estado, isto é, todos “nós”, temos “obrigação” de pagar polpudas indenizações os familiares dos mortos nas penitenciárias. (Ninguém se lembra de “indenizar” as famílias das criancinhas que foram e estão sendo estupradas e estranguladas.)
Não sei se os senhores já foram assaltados; eu, sim! Com um “trinta e oito” apontado para os meus cabelos brancos, levaram meus documentos, meu dinheiro e o meu carrinho “FIAT”. Na hora, senti vontade de “matar”; mas, velho coronel -- “inútil na paz e incapaz para guerras” -- achei melhor me “acovardar”.
Dizem que os defensores de “Direitos Humanos” são todos da mesma laia “comunistas”. Não sei. Só sei que eu não tenho medo de dizer que tenho amigos “comunistas”. Sou anticomunista ferrenho, mas no campo “intelectual”. Não que eu seja santinho; não! Nunca matei, nunca assassinei, nem nunca torturei ninguém! Nem eu, nem a grande maioria dos nossos militares! Mas dou o maior ponto para aqueles que tiveram “coragem” de enfrentar, colocando em risco suas vidas e seus futuros na “carreira”, aqueles guerrilheiros do “Bico do Papagaio”, lá no Araguaia; como aqueles que enfrentaram de peito aberto os “guerrilheiros urbanos”, estes que assassinaram não sei quantos pais de famílias e outros civis desarmados, e que assassinaram, na frente da mulher e dos filhos, aquele capitão do Exército Americano.
Sei que tem muitos “comunistas” por aí, que são comunistas por “conveniência”, isto é, comunistas só na hora de receberem polpudas indenizações por se dizerem torturados pelos militares; comunistas que são “comunistas” só para receberem benefícios da famigerada “Lei Rouanet”; outros, para melhor serem avaliados e promovidos nas bancas examinadoras para acesso a “doutorados”; outros “internacionais” para serem beneficiados com prêmios “Nobel” de Literatura e Paz!
Vamos aguardar a posse do Donald Trump, que dizem ter “culhões de aço”, para ver o que ele ainda pode salvar dos Estados Unidos, arrasado por oito anos de governo “Obama” e. por tabela, o Brasil, arrasado por mais de vinte anos de governo comunista. 
Coronel Maciel.