sexta-feira, 4 de março de 2016

Lula, e o seu "Dedinho" de estimação.

Dizem os historiadores que o Getúlio era um bom caçador; ruim era a “cachorrada” que o acompanhava. Lula, além de “mau caçador”, pior é a sua irada cachorrada! Lula, seu sacana enganador, as aparências não me enganam! Você precisa ainda explicar muitas e muitas coisas, antes de tentar fugir por aí.  Você, e sua “cadelinha” de estimação. Explicar o caso da perda daquele seu “dedinho” de estimação, lembra?  Foi mesmo “acidente”, ou foi coisa muito pior, hein?
Na guerra civil americana também houve casos de acidentes assim, fugindo dos campos de batalha, na “Guerra da Secessão”, terrível luta fratricida quando morreram mais de um milhão de americanos. Também precisa explicar direitinho a misteriosa morte do prefeito Celso Daniel. E muitas e muitas outras grandes sacanagens, que deixaram uma dívida de mais de dez milhões de desempregados neste Brasil em fase terminal.  Fora os que não têm carteira assinada!
 Não sei se vocês, mas eu ”fiquei sabendo” que estava tudo planejado para a fuga do Lula num jatinho que decolaria do Campo de Marte, pouco antes da “prisão” ser efetivada.  Felizmente, decolagem abortada. Não duvido nada de uma próxima fuga para Cuba, onde investiu milhões e milhões de dólares, do nosso suado dinheirinho.
Os únicos presidentes que entraram pobres e saíram pobres do poder, foram os Generais Presidentes!
Coronel Maciel.


2 comentários:

Carlos Lima disse...

Inácio o predador me faz lembrar o caçador de marajás. O notório corrupto e corruptor, também ex-presidente da república. Só vou citar as iniciais: Fernando Collor de Melo.

Dito por seu irmão Pedro Collor a vivo e a cores, pela Televisão: "O Fernando sempre foi assim, desde criança, ele inventava uma mentira e a repetia tanto e com tanta convicção que depois ele mesmo acreditava na mentira que tinha inventado."

Carlos Lima disse...

Me faz lembrar o "caçador de marajás", o notório corrupto e corruptor, também ex-presidente da república. Só vou citar as iniciais: Fernando Collor de Melo.

Dito por seu irmão Pedro Collor a vivo e a cores, pela Televisão: "O Fernando sempre foi assim, desde criança, ele inventava uma mentira e a repetia tanto e com tanta convicção que depois ele mesmo acreditava na mentira que tinha inventado."