quarta-feira, 22 de julho de 2015

Não vejo "estrelas" para nos guiar.

Todo mundo sabe que os nossos “queridos irmãos do norte” nunca estiveram, nem nunca estarão interessados no desenvolvimento da América Latrina, o sempre podre e fedorento quintal dos americanos. Querem tão somente que estejamos num estágio tal que possamos continuar exportando, ou simplesmente “dando” nossas ricas e estratégicas matérias primas; exportando nossos “cérebros” para servir de serviçais domésticos e outros humilhantes serviços, mas sempre em condições de “turistas farofeiros em Miami”, e importadores de seus produtos acabados. Desenvolvimento por aqui, implica em desemprego por lá.
Só poderemos realmente crescer -- falo agora como um “coronel-latino-americano-sem-amigos-importantes-sem-dinheiro-no-banco” -- quando resolvermos subir na vida com nossas próprias pernas; com nosso “Caboclo-way-of-life”. Mas, cada vez mais acredito menos nessa utópica possibilidade. A não ser com ajuda dos militares, como em 64, missão cada vez mais impossível.
Quando o Brasil começou a se achar, a crescer, como em 64, veio o bebé chorão Jimmy Carter, do Partido Democrata, balançar nosso coreto. Engravidou pelos ouvidos, paparicado pelos padrecos, bispos e cardeais vermelhos e de passeatas; engravidado pelos nossos “artistas”, pelos nossos “intelectuais” e outros grandessíssimos “filhos das putas”, humilharam, ofenderam, sacanearam e nos emputeceram tanto que hoje estamos por aí, jogados fora, com pires nas mãos, olhando de longe esse nosso tão amado e traído Brasil, virado nessa grande zona de altíssimo meretrício.
Não vejo quatro, nem três, nem duas; não vejo nenhuma “estrela” para nos guiar...
Coronel Maciel.


3 comentários:

ranzinza e persistente antigo "o copista" disse...

Coronel, somente você e mais uma meia dúzia talvez de militares com "M" maiúsculo ainda são sobreviventes dos maravilhosos idos de 1964. Das construções maravilhosas pelo Regime deixadas, o pt conseguiu destruir tudo. Engesa, Embrapa, Embraer,Pro-Álcool, Valeriodoce e agora, finalmente, a incrível façanha de conseguir acabar com uma indústria petrolífera; coisa que para um sheik das arábias seria impossível de acreditar e tão pouco de se fazer, esses ladrões de plantão conseguiram. Coronel não existe hoje nas ffaa, homem com "H", existem estafetas sob os aguilhões vermelhos e para acabar com nossas esperanças, já não mais existentes ainda há a LADRA, FRAUDULENTA E VIOLÁVEL (até por um recém-nascido) as malditas URNAS ELETRÔNICAS com as quais os comunistas da amérdica latrina deitam e rolam sobre o povo analfabeto, desdentado e faminto. Somente um Poder Superior a nós mesmos é que poderá nos devolver à LIBERDADE mas, para isso, teremos que ser Fraternos para sermos Iguais e, esperar por isso de comunistas é, no mínimo, ser tolo!Abraços fraternos.'.

Coronel Maciel. disse...

Somos iguais, amigo velho! Grande e fraternal abraço!

Anônimo disse...

"Não vejo quatro, nem três, nem duas; não vejo nenhuma “estrela” para nos guiar..."

Ué? Mas e a vacina? Não fez efeito?